25/02/12

Apresentação do livro Cartas da Índia

Junto anexo um convite para o lançamento de um livro de um dos mais interessantes investigadores do Porto e do período dos Descobrimentos.
O Profº Dr. Amândio Barros, é um erudito e um profundo investigador da nossa história.


Apareçam vão gostar...
César Santos Silva

21/02/12

Todos ao Observatório Astronómico de Lisboa!


"Noites no Observatório"
Sessão: "Galileo: e, no entanto, ele move-se! "
25 de fevereiro de 2012
início 20:15

É já no próximo dia 25 de fevereiro que decorrerá a primeira sessão "Noites no Observatório", com o objetivo de proporcionar ao público um contacto próximo com a Astronomia e dar a conhecer um pouco do património histórico, arquitectural e instrumental da astronomia portuguesa.

Cada sessão é composta por:
- 20:15: Visita guiada ao edifício museológico do Observatório;
- 20:30: Palestra de divulgação (com tema a anunciar em cada sessão);
- Observações noturnas com telescópio (sujeitas às condições meteorológicas).

Estas sessões decorrerão todos os meses, ao longo de 2012. Independentemente da realização das observações, a  visita e palestra serão sempre realizadas e têm cada uma, respectivamente, a duração aproximada de 60 minutos.

A palestra estará subordinada ao tema "Galileo: e, no entanto, ele move-se!", proferida pelo Professor Virgilio Mendes, do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

 -------------------------------------------------------------------------------
Galileo: e, no entanto, ele move-se!

 Os últimos anos marcam o início de uma nova era na navegação global por satélite. Após um longo reinado sem concorrência, o GPS será confrontado num futuro próximo com um GLONASS rejuvenescido e com dois novos projectos, o COMPASS e o Galileo.  A palestra constitui uma viagem ao fascinante mundo dos sistemas globais de navegação por satélite (GNSS), explorando o vasto domínio de aplicações.
 -------------------------------------------------------------------------------

Equipamento: Roupa confortável e quente, pois as observações são no exterior.

Preço:
- O acesso à actividade é livre, mas o número de vagas é limitado.
- É necessária uma inscrição prévia e email de confirmação da inscrição. A ausência de resposta será tomada como uma desistência, sendo cancelada a inscrição. Por este motivo solicitamos que esteja atento à sua caixa de correio electrónico no início da semana de 20 de Fevereiro.
- Prevista taxa de estacionamento no parque do Instituto Superior de Agronomia: 1,5€.

Acesso: Pelo portão da Calçada da Tapada, em frente ao Instituto Superior de Agronomia.

A inscrição é efectuada online na seguinte página:
http://www.oal.ul.pt/index.php?link=actividadesOAL&curso=0

Como existe um número máximo de participantes, se após a inscrição verificar que não lhe é possível comparecer, por favor anule a inscrição na seguinte página:
http://www.oal.ul.pt/index.php?link=actividadesOAL_anul


 -------------------------------------------------------------------------------
Observatório Astronómico de Lisboa
Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa
Tapada da Ajuda
Telefone: 351+21 361 67 39
Fax:      351+21 361 67 52

from Grupo Engenheiros Geógrafos

16/02/12

Todos à Quinta da Bonjóia!

Serões da Bonjóia
Tertúlias à moda do Porto

dia 16 de fevereiro de 2012
"o 31 de janeiro nas ruas do Porto - nomes e rostos"
por César Santos Silva

A primeira tentativa de implentação do regime republicano em Portugal deu-se com a revolta de 31 de janeiro de 1891, na cidade do porto, tendo como rostos principais oficiais subalternos e sargentos.

O porquê de uma revolta fracassada, nomes e rostos envolvidos serão dados a conhecer, neste Serão da Bonjóia, por César Santos Silva.

César Santos Silva é formador, investigador e divulgador de temas de História do Porto e de Portugal e professor em diversas Universidades Seniores, colaborador do Porto 24.

 Todas as quintas-feiras às 21h15
Ciclo História

Entrada Livre, sujeita ao limite da lotação da sala.

Morada: Rua de Bonjóia, 185, Porto

14/02/12

WorldMap: mapas para todos!

WorldMap: plataforma gratuita para partilhar mapas

Worldmap é a nova plataforma open-source de mapas, foi criada pelo Centro de Análise Geográfica (CGA) da Universidade de Harvard, EUA e é totalmente gratuita.

O objetivo do sistema foi preencher uma lacuna para um nicho de utilizadores académicos que desejam visualizar, explorar, editar e colaborar com, e publicar informações geoespaciais de forma interactiva numa página web ou num blog, por exemplo..

Diferencia-se do Google Maps e do Bing Maps que são meros fornecedores de mapas, pois possibilita análise de eventos e processos que ocorram em qualquer lugar do mundo com as capacidades de um sistema de informação geográfica.

Saiba mais e experimente em:



13/02/12

Invulgar Toponímia Lisboeta!!

Fica em pleno Bairro de Alfama, em Lisboa...

Todos a Coimbra !

Workshop "Cadastros ou uma infraestrutura nacional de cadastro?"

23 de Fevereiro de 2012 | Engenharia Geográfica



A Ordem dos Engenheiros e a Câmara Municipal de Coimbra organizam um seminário intitulado "Cadastros ou uma Infraestrutura Nacional de Cadastro?”, que irá ter lugar no dia 23 de Fevereiro, no Auditório da Sede Regional da Ordem, em Coimbra.
Este seminário é composto por um conjunto de painéis, com diversos oradores convidados, onde se pretende debater, de uma forma aprofundada, as questões associadas ao cadastro.

Programa:
09h00 – Sessão de Abertura
11h30 – Painel 1 (Propriedade + Valor)
13h00 – Almoço
14h30 – Painel 2 (Uso)
16h30 – Painel 3 (Desenvolvimento)
18h00 – Conclusões e Encerramento
18h15 – Pôr do sol com prova de doçaria tradicional
.
Objectivos:
Em Portugal, pretende-se realizar uma infraestrutura nacional de Cadastro Predial (INCP), desde 1801, altura em que é feita a primeira referência conhecida ao cadastro da propriedade fundiária em Portugal, num Alvará Régio onde é determinada a execução, pelo Cosmógrafo de cada comarca, de um livro contendo "Cartas Particulares [...] em que se descrevam, e configurem todas as Herdades, Quintas, Prazos, Fazendas, e outros bens, assim Ruraes, como urbanos [...]”. Outras referências à execução de Cadastro, em documentos oficiais, são feitas em 1848, em 1926, em 1995, e mais recentemente em 2007, 2009 e 2011. A iniciativa, de criação de uma INCP, teve algum sucesso de 1926 até à década de 90 do século passado, em que o Instituto Geográfico e Cadastral (IGC) realizou um Cadastro Geométrico da Propriedade Rústica, com preocupações essencialmente fiscais, tendo cadastrado 50% do território nacional. Desde Abril de 1974, as políticas nesta área têm sido hesitantes e tergiversas, o que tem dado origem a constantes mudanças de orientação, sobre o modelo a seguir: ora agora é geométrico da propriedade rústica, ora agora é predial, ora agora é parcelário agrícola, ora agora é parcelário florestal, ora agora é multifuncional, ora agora é nas ZIF´s.
A existência de uma INCP permitiria: integrar a informação referente aos prédios rústicos e urbanos dispersos por diferentes entidades da Administração Pública (AP), tais como a Direcção Geral do Território (DGT), a Direcção-Geral das Contribuições e Impostos (DGCI) e as Conservatórias de Registo Predial, invariavelmente inconsistentes; facilitar a resolução e diminuir os conflitos sobre a propriedade; garantir o cumprimento dos deveres de propriedade, nomeadamente no que diz respeito, à prevenção de fogos florestais; facilitar o licenciamento de intervenções urbanísticas, garantindo que o seu planeamento é realizado sobre informação fiável referente à propriedade imobiliária; disponibilizar à AP informação fiável sobre os prédios abrangidos por servidões e restrições de utilidade pública, nomeadamente RAN, REN, Domínio Público Hídrico, etc.; informar correctamente os instrumentos de gestão do território sobre a estrutura da propriedade; garantir a protecção do proprietário e do comprador, no momento de transacção, aluguer ou expropriação; etc..
Na ausência de uma INCP, as entidades que necessitam de cadastro mandam executar à sua medida. Como estas iniciativas de aquisição de cadastro servem o fim específico da entidade que mandou executar, com especificações que não servem todos os outros utentes, não integram um repositório nacional de cadastro, perdendo-se. Esta prática conduz a que a mesma área geográfica possa ser cadastrada várias vezes, ao longo do tempo, por diferentes entidades, num cadastro de usar e deitar fora, pago pelo contribuinte.
Com a transposição da Directiva INSPIRE, em que o Cadastro Predial é um dos temas a disponibilizar nesta infra-estrutura europeia de Informação Geográfica, torna-se urgente a sua realização, segundo normas técnicas impostas pela Directiva.
Os Colégios Nacional e Regional do Centro de Engenharia Geográfica da Ordem dos Engenheiros, em colaboração com a Câmara Municipal de Coimbra, organizam esta Workshop com o objectivo de contribuir para uma reflexão sobre o tema entre produtores e utilizadores. A sessão foi organizada em painéis de debate referentes aos vários temas associados ao Cadastro, nomeadamente, Propriedade, Valor, Uso e Desenvolvimento. Pretende-se que as conclusões da Workshop produzam informação útil para a tomada de decisão sobre a realização desta infra-estrutura crítica para o desenvolvimento do território e para o aumento da transparência no comércio da propriedade.

Inscrições:
Membros Estudantes da OE e Engenheiros Estagiários - Gratuito
Membros Efectivos da OE, Trabalhadores da Administração Pública e Estudantes - 10 Euros
Outros participantes - 20 Euros
Pagamento das inscrições por transferência bancária para o NIB: 0036 0058 99100176690 67 (Ordem dos Engenheiros)
As inscrições serão consideradas por ordem de chegada e deverão ser efectuadas para o e-mail: dina@centro.ordemdosengenheiros.pt, juntando o comprovativo de transferência (no caso das inscrições pagas), até ao dia 20 de Fevereiro.
O número de inscrições é limitado.
Boletim de inscrição: Download

fonte OE

07/02/12

Formação na área da Cartografia

 
"HOMOLOGAÇÃO DE CARTOGRAFIA PARA OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DO TERRITÓRIO: PDM, PU E PP"
 
17 de Fevereiro de 2012
 
Coordenação
Eng. João Cordeiro Fernandes (IGP)

 
Objectivos:
Municípios, aos produtores de cartografia e seus utilizadores em geral, o acesso a
informação sobre os procedimentos necessários para obter a homologação de
cartografia que venha a ser usada para fins de utilização pública, com destaque para a
cartografia de referência que suportará a elaboração de Planos Directores Municipais,
Planos de Urbanização e Planos de Pormenor, bom como de cartografia que sustente a
elaboração de outro tipo de projectos cuja realização se enquadre na finalidade de
utilização pública.

Programa:

09h30 Introdução
Suportes legais para a cartografia de referência a utilizar nos Instrumentos de
Gestão Territorial (IGT);
11h00 Intervalo
11h15 Razões para a homologação de cartografia
12h30 Almoço
14h00 Qualidade da Informação cartográfica
Avaliação da qualidade da informação cartográfica
15h30 Intervalo
15h45 Homologação de cartografia
Requisitos
Procedimentos
17h00 Encerramento

Organização:

Horário: 9h30 - 17h00
 
Local de realização: Instituto Superior Técnico, Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos - DECivil, Sala V1.01 (Piso 1), sito na Av. Rovisco Pais, 1049-001 Lisboa.
Custo de inscrição: 250€ + IVA à taxa de 23% (307,50€)

Para qualquer esclarecimento adicional contactar o Secretariado:
--
FUNDEC
Fernanda Correia / Vanessa Silva Tel. 21 8418042  /  Fax: 21 8418193

informação: FUNDEC
O curso deverá proporcionar aos interessados, nomeadamente técnicos dos
FUNDEC - Associação para a Formação e o Desenvolvimento em Engenharia Civil e Arquitectura